Agni: o poder digestivo no Ayurveda

Agni é a sua capacidade de pegar alimentos, sentimentos, ideias, pensamentos, emoções, enfim, tudo o que é externo, e transformar em quem você é.

Prefere ouvir o podcast? É só dar o play!

“Força, saúde, longevidade e vitalidade dependem de agni”. Essa frase não é minha, é do Caraka Samhita, um dos livros mais antigos do Ayurveda e que traz, de forma bastante direta, qual é a importância do agni para a manutenção da saúde de qualquer pessoa.

Quando a gente fala de agni no Ayurveda, costuma associar com a capacidade de digerir alimentos. Ou seja, de colocar um brócolis na sua boca, mastigar, engolir e processar esse brócolis até que ele se torne você.

Mas de maneira mais ampla, agni é a sua capacidade de pegar alimentos, sentimentos, ideias, pensamentos, emoções, enfim, tudo o que é externo, e transformar em quem você é.

E hoje a gente vai explorar um pouco mais essa capacidade de transformação do seu organismo. 

O que é agni, afinal?

Na prática do Ayurveda, agni está relacionado com a sua capacidade de transformação de elementos externos em internos.

Quando você consome um alimento, ele é quebrado em partículas cada vez menores e transformado ao longo de diversos processos até que o seu corpo seja capaz de absorver esse alimento em forma de nutrientes e expulsar o que não for usado por meio das suas excretas.

Esses elementos que são absorvidos servem para nutrir o seu corpo, para que ele se mantenha saudável. Mas a qualidade dessa nutrição está diretamente relacionada com a qualidade das bebidas e comidas que você consome e também com a sua capacidade de digerir esses alimentos.

Isso quer dizer que, mesmo que você tenha uma alimentação saudável, se o seu agni não está saudável, seu corpo vai deixar de obter os nutrientes que precisa. E isso pode levar a doenças.

E é a partir dessa observação que o Charaka Samhita, o texto mais clássico do Ayurveda, afirma que a sua saúde depende de um agni equilibrado. E tudo isso começa nas suas células. Quer dizer, o agni é a base de tudo.

Agni é a base de tudo

Todas as nossas células só se multiplicam a partir da nutrição. Então, a célula bem nutrida pode se multiplicar, realizar suas funções adequadamente e, inclusive, se regenerar. E já deve estar óbvio para você, mas acho que vale a pena enfatizar aqui que quanto melhor é a qualidade dessa nutrição, mais saudável é o corpo que você constrói.

— Ah, Matheus, então é daí que vem a frase “você é o que você come”!

Sim. Essa frase fala sobre o quão importante é a alimentação. Mas quando alguém fala “você é o que você come”, isso sugere que o alimento que você ingere se transforma no seu corpo. Ou seja, a saúde do seu corpo depende da qualidade do alimento que você come e nada mais.

Mas a verdade é que, na perspectiva do Ayurveda, você não é apenas o que você come, mas sim o que você digere e absorve do que você come. E nesse processo entre comer, digerir e absorver, existe algo fundamental: o agni, a sua digestão.

Colocando em termos práticos, imagine que você vai comer uma maçã. Se a sua digestão está ruim, você não vai conseguir digerir a maçã direito.

E aí existem dois caminhos para essa maçã mal digerida: o primeiro é sair do seu corpo sem ser absorvida. O segundo é essa maçã mal digerida ficar parada no seu organismo, o que a gente chama de “ama” no Ayurveda. O ama, então, bloqueia o fluxo natural dos doshas, causando uma série de desequilíbrios na sua fisiologia.

Mas esse é um assunto para outro vídeo. Hoje eu quero falar só de agni com você. E para dar um passo a mais nesse tema, vamos falar sobre quais são os tipos de agni segundo o Ayurveda?

Quais são os tipos de agni segundo o Ayurveda?

De acordo com o Charaka Samhita, existem treze tipos de agni e eles são divididos em três categorias: jatharagni, bhutagni e dhatvagni.

Jatharagni é o principal tipo de agni e é o responsável pela digestão dos alimentos no seu trato intestinal mesmo. Normalmente, quando a gente se refere a agni, está falando de jatharagni, ou seja, o fogo digestivo.

O segundo tipo de agni é o bhutagni, ou seja, o agni responsável por transformar os alimentos digeridos em elementos químicos essenciais que constituem o nosso corpo, que a gente chama de panchamahabhutas.

O termo “panch” significa “cinco”, “maha” significa “grande” e “bhuta” significa elementos, aqui. Portanto, nós temos cinco agnis que processam os cinco elementos primordiais da natureza:

  • nabhasa ou akasha (espaço)
  • vayu (ar)
  • tejas ou agni (fogo)
  • apya ou jala (água)
  • prthvi (terra)

A terceira categoria de agni é dhatvagni, ou seja, o agni dos tecidos. Cada tecido do seu corpo tem um agni próprio, responsável por transformar os nutrientes em alimento para os tecidos.

De acordo com o Ayurveda, a gente tem sete dhatus ou tecidos que sustentam o corpo. Cada um deles tem um metabolismo específico. Os tecidos do corpo são:

  1. rasa
  2. rakta
  3. mamsa
  4. medo
  5. asthi
  6. majja
  7. shukra

Aí basta adicionar a palavra agni do lado de cada um deles que você tem o nome do agni de cada um. fácil, né?

Como você pode ver, a capacidade digestiva, segundo o Ayurveda, não está limitada ao seu sistema digestivo. Ela está em todo o corpo. E quando existe qualquer desequilíbrio em um desses agnis, você pode ter problemas digestivos e absortivos, o que pode levar ao desequilíbrio dos doshas.

Doshas e digestão segundo o Ayurveda

Resgatando um pouco do que a gente falou até aqui, se você tem um problema de digestão, isso pode gerar desequilíbrios nos doshas.

Você pode perceber esses desequilíbrios observando a intensidade da sua digestão no dia a dia e, a partir daí, buscar maneiras de equilibrar o seu agni e, claro, os doshas.

Para isso, o Ayurveda classifica a digestão em quatro padrões, de acordo com a predominância dos doshas no agni:

  • quando existe uma influência de vata dosha na digestão, a gente chama isso de vishamagni. Vishama significa “irregular”, então às vezes vai ser mais rápida, às vezes mais lenta, às vezes normal.
  • quando existe uma influência de pitta dosha na digestão, a gente chama isso de tikshnagni. Tikshna significa intenso e sugere que a digestão está muito forte e acelerada, o que pode causar muita sede e fome. esse padrão muito intenso de digestão também pode afetar os tecidos do corpo, porque depois que o agni termina com a comida, ele pode seguir em frente e digerir os tecidos.
  • quando existe uma influência de kapha dosha na digestão, a gente chama isso de mandagni. Essa é a digestão mais lenta. quando a pessoa tem mandagni, pode sentir peso no estômago, sensação de estufamento e demora para perceber que a digestão foi feita.
  • o quarto tipo de digestão é aquele em que todos os doshas estão equilibrados. Ele é chamado de samagni. Sama significa equilibrado, ou seja, é a digestão ideal de qualquer pessoa saudável.

Sabendo de tudo isso, o mais natural é você levantar a mão agora e me perguntar como melhorar a sua digestão de acordo com o Ayurveda.

Como melhorar a sua digestão de acordo com o Ayurveda

Bom, de forma simples e direta, a qualidade da sua digestão ou do seu agni deriva do seu estilo de vida. E a alimentação, é claro, tem uma forte influência sobre isso.

Se você mantém uma alimentação saudável, seu agni tende a ser mais equilibrado. Mas, se você costuma comer alimentos gordurosos, com pouca qualidade nutricional ou que são pró-inflamatórios, seu agni fica prejudicado. Por isso, o primeiro passo para ter uma boa digestão de acordo com o Ayurveda é observar a qualidade dos alimentos que você ingere.

O segundo ponto que você precisa considerar para ter uma boa digestão é a equação frequência x quantidade. Se você come várias vezes ao dia, sem dar tempo de o seu organismo digerir as refeições direito, seu poder digestivo vai ficar prejudicado.

Imagine que seu agni é uma fogueira. Com a quantidade certa de lenha, essa fogueira se mantém acesa para sempre. Mas se você for colocando mais e mais lenha sem necessidade, o fogo apaga. O mesmo acontece com a sua digestão.

Se você reduz a frequência das refeições, também tem que observar a quantidade de alimento a cada refeição, para garantir que o seu corpo tenha a quantidade de nutrientes suficiente para gerar a energia que você precisa para fazer as suas tarefas do dia a dia, mas sem sobrecarregar o seu corpo com mais comida do que ele pode digerir. Então a quantidade de comida que você coloca no seu prato também influencia na qualidade da sua digestão.

Conclusão

Esses eram os pontos mais importantes que eu queria compartilhar com você sobre agni e digestão de acordo com o Ayurveda.

É claro que esse conhecimento vai muito além do que eu te contei aqui, por isso, se você ficou interessada em aprender mais sobre a importância da digestão no Ayurveda e como melhorar o seu processo de digestão de forma natural, eu recomendo que você faça o Certificado nos Fundamentos do Ayurveda.

Nele, você encontra as bases que precisa para navegar o conhecimento do Ayurveda com segurança e aplicá-lo no seu dia a dia sem erros.

São 21 horas de conteúdo online onde você vai se aprofundar nos doshas, dhatus e malas; na importância da digestão; nos tratamentos segundo o Ayurveda e, como não poderia deixar de ser, nas rotinas diárias e sazonais que você deveria adotar para ter uma vida mais saudável.

Para conhecer o Certificado nos Fundamentos do Ayurveda é só clicar no banner que eu vou deixar aqui embaixo.

Abraços e lembre-se sempre: SAÚDE É LIBERDADE!

Matheus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.