Pular para o conte√ļdo

O Ayurveda pode auxiliar no manejo da Dengue no Brasil?

Segundo dados do Minist√©rio da Sa√ļde do Brasil, o pa√≠s registrou, na √ļltima quinta-feira (07/03/2024), 1.318.336 de casos prov√°veis de dengue e 343 √≥bitos confirmados pela doen√ßa, apenas nos primeiros 67 dias de 2024.

A incidência mais que triplicou se comparada ao mesmo período de 2023. Associa-se a isso as chuvas intensas que possibilitaram a procriação do vetor de transmissão do vírus, o mosquito Aedes aegypti.

Por tratar-se de uma doen√ßa infecciosa viral transmitida por mosquito, que √© um artr√≥pode, a dengue √© classificada como arbovirose, como tamb√©m s√£o a Zica e a Chikungunya. Dessa maneira, as recomenda√ß√Ķes para preven√ß√£o s√£o:

1. Evitar a proliferação do Aedes aegypti é necessário

Evitar focos de água parada é a prevenção mais efetiva, mas a de mais longo prazo.

2. Evitar a picada do mosquito

Proteger-se com telas em janelas, repelentes ou roupas que cubram pernas e braços, principalmente nos horários de maior circulação dos mosquitos, que é no começo da manhã e no final da tarde, é fundamental.

3. Estar imunizado ao vírus

Vacinar-se contra os quatro sorotipos do v√≠rus da dengue previne a doen√ßa e seus agravos ao estimular o sistema imune. Ela est√° sendo disponibilizada na rede privada e no sistema de sa√ļde p√ļblica (o primeiro no mundo a ofert√°-la).

E quais s√£o os sintomas de dengue?

O primeiro sintoma costuma ser febre alta (39¬į a 40¬į C), como resposta do sistema imune para combater o v√≠rus. Tamb√©m √© comum dores de cabe√ßa, musculares, nas juntas e dor nos olhos, manchas vermelhas na pele, falta de apetite, n√°useas e v√īmitos. 

Os sintomas variam de acordo com o paciente, e como complicador, a dengue pode evoluir para febre hemorrágica (dengue grave), onde podem ocorrer sangramentos e insuficiência circulatória com redução da pressão arterial.

Essas complica√ß√Ķes ocorrem por diversos mecanismos, sendo o principal deles a les√£o que o v√≠rus causa nas paredes dos vasos sangu√≠neos, gerando neles uma resposta inflamat√≥ria. Com isso, os vasos passam a ser como tubos furados e permitem o vazamento de l√≠quidos. 

A gravidade da dengue √© proporcional ao aumento dessa permeabilidade vascular. Se for pequena, extravasa apenas soro; mas se for maior, saem tamb√©m c√©lulas e hem√°cias, o que pode causar redu√ß√£o do volume de sangue circulante e da press√£o arterial. 

De acordo com a medicina moderna, qual o tratamento para a dengue?

Ainda que as vacinas contra a dengue alcancem muitas pessoas em 2024, levar√° tempo para que todos estejam protegidos. Sem vacina, o tratamento pela farmacologia moderna √© direcionado a atenuar sinais e sintomas, j√° que n√£o h√° f√°rmaco que mate o v√≠rus em pacientes infectados. 

Assim, a recomenda√ß√£o de tratamento do Minist√©rio da Sa√ļde, para a fase inicial da dengue, √©:

  1. Hidratação;

Se h√° ‚Äúvazamento‚ÄĚ nos vasos sangu√≠neos, repor o l√≠quido √© fundamental. Orienta-se o consumo de 60 ml de √°gua por quilograma de peso corporal todos os dias. Um indiv√≠duo com 100 kg, por exemplo, deve beber 6 litros de √°gua por dia.

  1. Medicamentos para os sintomas de dengue;

Se o indiv√≠duo apresenta dores e febre, administrar f√°rmacos para al√≠vio destes sintomas √© a op√ß√£o. Lembre-se que h√° medicamentos contraindicados em caso de suspeita de dengue e que o tratamento deve ser acompanhado de um profissional de sa√ļde. 

E de acordo com o Ayurveda?

H√° men√ß√£o, nos textos cl√°ssicos, de uma doen√ßa que aumenta a temperatura corporal e causa desconfortos. Costuma ser correlacionada com a febre, embora essa n√£o seja a melhor tradu√ß√£o, se chama Jvara. No Ayurveda de acordo com os Samhitas e Nighantus, esse aumento da temperatura corporal √© uma doen√ßa, e n√£o um sintoma, e se divide em v√°rios tipos. 

No livro Madhava Nidana (o livro verde da foto abaixo) a dengue parece estar descrita como Dandaka Jvara, cuja etiologia √© a picada de um mosquito. No Charaka Samhita (o livro amarelo abaixo) ela √© entendida como Agantu Jvara (causada por fatores externos). 

Se há vários tipos de Jvara, como fazer o Diagnóstico no Ayurveda

H√° milhares de anos n√£o havia an√°lise sorol√≥gica para detectar o v√≠rus da dengue. Ent√£o, para realizar o diagn√≥stico da doen√ßa (ou roga pariksha), cinco elementos s√£o analisados (s√£o o nidana panchaka). √Č atrav√©s desses elementos que √© feita a correla√ß√£o da dengue com Dandaka Jvara ou Agantu Jvara.

Fisiopatologia da Dengue no Ayurveda

Os cl√°ssicos tamb√©m explicam como a doen√ßa se desenvolve. O Charaka Samhita (Nidana Sthana 1:30) afirma que vata e pitta dominam a patog√™nese da Agantu Jvara, sendo ela precedida de dor. 

A fisiopatologia dessa ‚Äúfebre‚ÄĚ tem, portanto, vata dosha como base. Esse dosha √© capaz de se acumular na primeira fase da digest√£o (amashaya), que √© local natural de pitta dosha, e ent√£o, se propagar atrav√©s do primeiro tecido corporal (rasa dhatu) e deslocar o fogo digestivo (agni). 

Por isso há prejuízo na digestão e aumento da temperatura corporal. Se você for nerd, essa referência você encontra no Charaka Samhita, Chikitsa Sthana 3.

Ent√£o, qual seria o tratamento da Dengue no Ayurveda?

Diante da fisiopatologia, e considerando o prabhava da doen√ßa, que s√£o sinais e sintomas que est√£o invariavelmente presentes (veja Caraka Samhita, Cikitsa Sthana 3:31), √© poss√≠vel lan√ßar recomenda√ß√Ķes para manejo da dengue, apesar de ser idealmente necess√°rio analisar tamb√©m o paciente (rogi pariksha) para um tratamento preciso no Ayurveda.

Em vista disto, genericamente, o tratamento pode ser dividido em duas frentes:

  1. Ahara (alimentação)

Considerando uma capacidade digestiva (agni) desequilibrada, a dieta deve ser leve, evitando-se alimentos pesados e de sabor adstringente

Os sabores indicados s√£o doce, que alivia pitta e vata dosha, como arroz e feij√£o moyashi; e amargo (tikta), como algumas folhas verdes escuras, por exemplo.

Caso o paciente digira bem, pode ser indicado o consumo de  t√Ęmaras e de √°gua e polpa de c√īco, que apaziguam vata e pitta, e aumentam a disposi√ß√£o (balya). Sendo a t√Ęmara ainda indicada para sangramentos, e o c√īco para dores em geral.

Ademais, s√£o indicadas ervas que fortale√ßam a digest√£o (agni dipana), e ajudem a digerir alimentos mal processados (ama pachana). Elas podem ser preparadas em decoc√ß√Ķes ou adicionadas a prepara√ß√Ķes como o mingau de arroz (yavagu) ou o feij√£o moyashi, bastante indicados para jvara.

Entre essas ervas, algumas facilmente encontradas no Brasil s√£o: cominho, cardamomo, coentro, alca√ßuz e manjeric√£o-santo (tulsi). Al√©m disso, √°gua quente tamb√©m tem propriedades dipana pachana e √© indicada para febre, como tamb√©m √© indicado o ghee. Nos termos em azul est√£o algumas refer√™ncias. 

Uma amostra das muitas outras ervas que não foram citadas pode ser conferida nesse trecho do livro Ashtanga Hrdayam, na leitura dos Samhitas e em outras partes dos livros. Há mais também na comunidade Nilaya, no curso O poder das ervas

  1. Vihara (estilo de vida)

Em relação ao estilo de vida, exercícios e sono diurno podem vir a ser contraindicados de acordo com o paciente, mas o repouso é definitivamente fundamental. O sono fortalece a imunidade, que é nossa arma contra o vírus. Além disso, os clássicos também orientam o consumo de água.

Pondera√ß√Ķes finais

Percebe-se que a medicina moderna e a Ayurveda manejam a dengue a partir de seus sinais e sintomas e orientam a hidratação. Contudo, o Ayurveda dá especial atenção à digestão e pode ser adjuvante no tratamento, que varia de acordo com o paciente e com a fase da doença.

Respeitando a complexidade do tema, é oportuno destacar que a dengue, enquanto jvara, está descrita também em outros clássicos do Ayurveda que não foram citados aqui. Para se aprofundar nesse universo de conhecimento milenar, a formação em Ayurveda pode ser uma boa escolha.

Espero que essa leitura tenha contribu√≠do de alguma forma em sua jornada. Se houver d√ļvida, ou se quiser complementar algo, fique √† vontade nos coment√°rios. ūüôā

Juliane Palma

Estudante de nutrição

Monitora das disciplinas de Agada Tantra, Sharira Kriya e Rachana II e III e Rasashastra

13 coment√°rios em “O Ayurveda pode auxiliar no manejo da Dengue no Brasil?”

  1. Todo ano temos surto de dengue na minha cidade (Araraquara), então somos cuidadosos na prevenção.
    Porém, há 9 anos atrás eu tive dengue e foi terrível. Mesmo sendo considerada do tipo leve, eu passei semanas indo e voltando do pronto socorro. Fiquei traumatizada.
    Lembrando agora, percebo que n√£o deu aten√ß√£o nenhuma √† minha alimenta√ß√£o. Apenas tomava soro no hospital e rem√©dios para dor e v√īmito.
    Esse conhecimento poderia ter me ajudado a passar pela dengue com menos sofrimento.
    Muito obrigada pelo artigo, Ju!

    1. Imagino como deve ter sido pesado, Sabrina, sinto muito por essa experiência. Espero que logo logo todos possamos estar livre dessa epidemia! Obrigada pelo comentário.

      Um abração,
      Juliane

  2. Artigo muito esclarecedor e de extrema import√Ęncia! Tratar do corpo al√©m dos sintomas √© um cuidado que precisamos ter diariamente! Parab√©ns √† autora, que se fez entender com clareza mesmo para quem n√£o estuda o Ayurveda!

    1. Giana Gajardo

      Obrigada pelo feedback, Giana, é valioso para a gente!

      Um abração,
      Juliane

  3. Suzana Lopes Coelho de Oliveira

    Gostei do artigo, objetivo, de clara compreensão até para os leigos em Ayurveda.
    Uma abordagem o quanto antes para não agravar nenhum dosha é fundamental, logo menos estaremos realizando mais um Ritucharya e o preparo pós dengue com certeza teremos mais atenção!

    1. Suzana Lopes Coelho de Oliveira

      Obrigada pelo retorno, Suzana! Muito bom o ponto que você levantou! Prevenção de doenças no Ayurveda, especialmente as não transmissíveis, passa por práticas de dinacharya, ritucharya, sadvritta e não supressão dos impulsos naturais. No caso das doenças transmissíveis, alguns cuidados adicionais são importantes, como evitar a exposição ao agente e manter nosso terreno imune o mais fortalecido possível. Vamos seguir nos cuidando uns aos outros com carinho e logo essa onda passará!

      Um abração,
      Juliane

  4. C√°ssia Valad√£o Valad√£o

    Li que o coentro pode ser considerado um alimento adstringente e, portanto, segundo o artigo, num primeiro momento, ele seria contraindicado.

    Num segundo momento, entretanto, quando se refere às ervas que podem ajudar no tratamento, o artigo faz menção justamente ao coentro.

    Percebi, então, que estou equivocada com relação à classificação do coentro como adstringente. Poderia exemplificar alguns alimentos adstringentes?

    E, aproveitando a oportunidade, os considerados pesados seriam carnes vermelhas e frituras, por exemplo, ou seja, os alimentos muito gordurosos?

    Super grata pelo artigo e, desde já, pela atenção. Um abraço

    1. Excelentes perguntas, C√°ssia!

      Quando olhamos para alguma subst√Ęncia (dravya), n√£o olhamos apenas para o sabor (rasa) mas tamb√©m para 4 outras caracter√≠sticas: guna (propriedade), virya (pot√™ncia), vipaka (sabor p√≥s-digestivo) e prabhava (que seria uma a√ß√£o especial da subst√Ęncia no corpo).

      O coentro, de 6 sabores existentes no ayurveda, possui 4! Você não está equivocada quanto ao sabor, mas além de adstringente ele também é picante (katu), amargo (tikta), e doce (madhura). E as propriedades dele são leve (laghu) e oleoso (snigdha). Então ele é fácil de digerir, mas, ao mesmo tempo, produz oleosidade no corpo. Ele tem uma potência quente, por isso dá suporte à digestão; e tem sabor pós digestivo DOCE, isso significa que ele pode apaziguar vata dosha em seu vipaka. Para aumentar a complexidade, o coentro apresenta uma ação que é tridoshahara, ou seja, apazígua os três doshas do corpo, além de ser dipana e pachana, como citado no texto.

      Por tudo isso que, entre as indica√ß√Ķes apresentadas nos cl√°ssicos para o coentro, jvara (febre) √© uma delas. No Ashtanga Hrdaya Sutrasthana cap√≠tulo 15, sloka 16 voc√™ encontra a indica√ß√£o, j√° que ele faz parte do guduchyadi gana.

      Outra observa√ß√£o importante: ele √© um tempero! E como tal, t√™m suas a√ß√Ķes no corpo como resultado principalmente de sua pot√™ncia, e n√£o de seu sabor. Em geral, alimentos que comemos em muita quantidade, como os alimentos, s√£o rasa pradhana, ou seja, t√™m seu efeito coordenado principalmente por causa de seu sabor. Por outro lado, temperos/medicamentos que ingerimos em pouca quantidade s√£o virya pradhana, o que quer dizer que t√™m seu efeito coordenado principalmente por sua pot√™ncia. Essa informa√ß√£o voc√™ encontra no Charaka Samhita, Sutrasthana 2.

      Em relação a exemplo de alguns alimentos adstringentes cotidianos podemos citar o café, alguns chás, chimarrão, kombucha, quiabo, algumas frutas verdes, como banana verde, manga verde e maçã verde, e até mesmo alguns vegetais crucíferos e algumas leguminosas.

      Por fim, quando falamos em alimentos pesados, nos referimos aos alimentos que t√™m essa propriedade, chamamos em s√Ęnscrito de guru guna, entre eles est√° o leite em geral, alimentos oleosos como voc√™ falou, como, inclusive, a linha√ßa e o gergelim, e tamb√©m as carnes domesticadas/de criadouros que s√£o comercializadas hoje em dia. Voc√™ pode consultar mais no cap√≠tulo 6 do Sutrasthana do Ashtanga Hrdayan. Outro ponto importante de observar √© o m√©todo de preparo do alimento, que pode torn√°-lo mais leve ou pesado para digest√£o.

      Cassia, se você ainda não faz parte da nossa formação, se junte a nós, penso que você irá gostar, suas perguntas foram maravilhosas.
      Se alguma d√ļvida permanece, ou se outra d√ļvida surgir, fique √® vontade para perguntar.

      Um abração,
      Juliane

  5. Incrível como ainda me surpreendo com o quão completa é a medicina Ayurvédica. Eu amo como os diagnósticos são sempre numa abordagem observacional e individual. E como os tratamentos são sempre naturais e, muitas vezes, quase óbvios! Gratidão imensa por todo esse conhecimento que o Vida Veda difunde.

  6. Sensacional este artigo! ūüôā Trouxe tudo muito bem explicado, tanto para leigos quanto para quem quer se aprofundar mais! Complet√≠ssimo. Obrigada, Juli.

    1. Muito obrigada por compartilhar, Re, é importantíssimo para a gente!

      Um abração,
      Juliane

Deixe um coment√°rio

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se para receber atualiza√ß√Ķes por email