Pular para o conteúdo

Agni, a chama da capacidade digestiva

Quem conhece um pouco da medicina Ayurveda, com certeza já ouviu falar sobre a chama do nosso fogo digestivo – Agni – e sua importância para a saúde. Mas você sabe identificar quando o Agni não funciona?

Para o Ayurveda, o processo de digestão é algo extremamente importante. Um dos textos clássicos mais antigos, o Caraka Samhita, diz que “Jātharāgni é a razão da existência da vida… sua adequada manutenção ajuda a pessoa a viver uma longa vida e sua falha dá origem às doenças.” 

Sendo assim, para a manutenção de um corpo verdadeiramente saudável, é necessário ter um processo digestivo que funcione de forma plena. 

Você já deve ter ouvido, em algum momento, aquela famosa frase “você é o que você come”, não é mesmo? Mas se essa premissa fosse realmente verdadeira, onde ficaria, então, o processo digestivo? 

Quer entender melhor como essa chama da capacidade digestiva atua e o que é considerado indigestão para o Ayurveda? Então continue a leitura para saber mais! 

A importância do Agni

Muitos acreditam que para manter um corpo saudável, com seu funcionamento pleno e livre de doenças, é preciso ingerir alimentos saudáveis,  como frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e praticar alguma atividade física. Mas essas práticas, por si só, não garantem um corpo realmente saudável!

Existe um processo pelo qual o alimento que ingerimos e tudo que fazemos passam até que haja uma transformação disso tudo naquilo que nós somos, ou seja, no nosso corpo físico, nossos órgãos, tecidos, pele, cabelo, unhas, cérebro e, também, na nossa mente, nos nossos pensamentos e nas nossas emoções.

Esse processo é nada mais, nada menos do que a nossa capacidade DIGESTIVA, ou, para o Ayurveda, o nosso AGNI, e por isso é tão importante ter um Agni que realmente funcione!

Agni РO processo de digesṭo

O alimento que ingerimos, sem sombra de dúvidas, fornece nutrição ao nosso corpo, porém, é somente por meio do Agni que a essência desses alimentos é metabolizada e utilizada para a nutrição e manutenção dos nossos tecidos. 

Ingerir um alimento saudável sem que o processo digestivo esteja funcionando adequadamente fará com que o alimento não seja processado e, consequentemente, as partículas desses alimentos não digeridos resultarão em diversos problemas para o nosso organismo. 

“Se o agni estiver em seu estado normal e se o indivíduo ingerir quantidades apropriadas de alimentos, então haverá digestão adequada do alimento, o que leva à manutenção do equilíbrio dos elementos teciduais.”

Ca.Ci. 15:51.1

Por isso, garantir um Agni que funcione adequadamente é parte fundamental nas práticas diárias de uma vida saudável. Mas como identificar possíveis problemas nessa função do nosso organismo?

Quando o Agni não funciona

Existem diversos fatores que podem contribuir para o mau funcionamento do Agni. Veja, a seguir,  uma lista de práticas que podem acabar com o seu fogo digestivo:

  • jejum em excesso;
  • ingestão de alimentos insalubres, pesados, frios, excessivamente secos e contaminados;
  • emagrecimento resultante de alguma doença;
  • residir em um local que seja incompatível com o funcionamento do seu corpo;
  • alterações impróprias nas estações do ano;
  • supressão das necessidades fisiológicas naturais, como fazer xixi, coco, espirrar, tossir, arrotar.

Quando algum desses fatores acontece e não damos a ele a devida atenção, o Agni se tornará, inevitavelmente, desequilibrado e passará a não realizar a sua função de forma adequada.  

Perceba que muitos desses fatores podem ser facilmente influenciados por nós, porém, alguns deles fogem ao nosso controle, como no caso da mudança brusca das estações ou residir em um lugar que não seja compatível com o nosso corpo, por exemplo. 

Embora essas situações nos fazem pensar que não há nada que se possa fazer, na realidade, existem diversas práticas que ajudam a colocar o nosso corpo de volta ao seu estado natural de equilíbrio sem sofrer os impactos das influências externas.  

Para entender sobre rotinas diárias que ajudam a manter o nosso corpo saudável, leia mais sobre prevenção de doenças.

Agora, como identificar se o seu Agni funciona ou se está prejudicado?

Sinais e sintomas de um Agni que não funciona

Antes que qualquer doença se instale, nosso corpo envia sinais para nos alertar de que algo não está bem. É nesse momento que devemos atuar para evitar que algo mais sério se manifeste.

Para entender melhor se a sua digestão está impactada, observe se você está apresentando algum dos seguintes sintomas ao se alimentar ou até mesmo algumas horas após as refeições:

  • distensão abdominal;
  • sensação de letargia após comer;
  • dores de cabeça;
  • vertigem;
  • rigidez na região dorsal e/ou lombar;
  • bocejos;
  • mal-estar;
  • sede excessiva;
  • febre;
  • vômitos;
  • arrotos;
  • sensação de peso no abdômen;
  • formação de gases;
  • sensação de queimação etc.

Esses sintomas, quando frequentes, indicam que o Agni está viciado, ou seja, ele fica tão fraco que não consegue digerir nem mesmo alimentos leves. A comida não digerida se torna, então, azeda e gera toxinas para o organismo, culminando, posteriormente, no desenvolvimento de diversas doenças. E o que fazer para evitar que isso aconteça?

Cuidando do Agni 

Existem 3 práticas fundamentais que podem te auxiliar, de imediato, a cuidar do seu Agni e evitar que ele se enfraqueça.

A primeira, e mais importante delas, é se alimentar quando você estiver com FOME! Isso porque a fome é um sinal fisiológico de que o corpo está pronto para receber e metabolizar o alimento. Sendo assim, para garantir que o que você ingere será melhor digerido, observe sua fome e evite comer em momentos em que ela não está presente, como, por exemplo, ficar beliscando ao longo do dia ou comendo por impulso por estar cansada, irritada ou deprimida.

Uma vez que você sente fome, a segunda coisa a fazer é observar a QUANTIDADE de alimento que será ingerido! Essa quantidade precisa estar adequada ao tamanho da sua fome. Comer muito vai prejudicar a sua digestão, assim como comer pouco. Então, se alimente de forma a ficar saciada, mas deixando um espaço no estômago para que a movimentação da digestão aconteça de forma satisfatória.  

E a terceira coisa extremamente importante a se fazer é observar a QUALIDADE daquilo que você come! Não adianta estar com fome e comer na quantidade ideal se o que você está comendo é um alimento ultraprocessado, pesado, cheio de gorduras e açúcares ruins e sem nutrientes! Esses alimentos, além de impactarem na digestão, vão causar processos inflamatórios que resultarão em outros problemas de saúde!  

Portanto, quer começar a cuidar do Agni já? Lembre-se sempre dessas três práticas:  comer com fome, na quantidade ideal e com qualidade! Dessa forma, você estará ajudando significativamente a otimizar o seu Agni e evitar problemas digestivos!

Cuidado que vai além do corpo físico 


Um Agni fraco impacta não só na digestão dos alimentos, mas também no processamento das emoções e das situações difíceis pelas quais a gente passa na vida! Por isso, cuidar do Agni é proporcionar para o seu organismo ferramentas para que não só o seu corpo físico se mantenha em equilíbrio, mas também a sua mente, as suas emoções e o seu espírito!

Portanto, bora cuidar do Agni e garantir saúde de forma integral para viver uma vida saudável de corpo e alma!

Beijos e boa saúde a todos. 

Escrito por Juliana Ferreira da Silva
Terapeuta Naturopata e monitora do Vidyalaya

5 comentários em “Agni, a chama da capacidade digestiva”

    1. Olá Ida,
      Que legal saber sobre o seu interesse!

      Vamos te mandar um e-mail para te apoiar nessa decisão!

      Um abraço,
      Equipe Vida Veda

  1. Adorei ler essa postagem. Venho lendo sobre Ayurveda há anos, mas vocês estão me ajudando a entender muita coisa que não entendia!
    Obrigada

  2. Bom dia!

    Acabei de ler seu artigo. Parabéns!
    Agora, tenho certeza que meu Agni não está funcionando bem. O que posso começar a fazer imediatamente para recuperar sua capacidade digestiva.

    Muito obrigada e, mais uma vez, parabéns a todos!
    Roseli

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se para receber atualizações por email